topbella

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O corte não faz a divisão de nada.


Alguns comentários aqui no que respeita aos últimos updates que fiz fizeram me querer esclarecer algumas coisas.

Primeiro eu sou naturalmente insatisfeita, o que obviamente significa que eu nunca estou satisfeita, embora possa estar durante breves períodos, eu nunca estou completamente satisfeita por muito tempo - é idêntico à bulimia por mais que se coma a fome nunca é saciada, porque não é fome, é apetite, mas a quê? Já lá vamos. Naturalmente que um pessoa assim pode ter tudo que vai continuar triste. Eu atingi um ponto na minha vida em que já não tenho muito o que mudar, eu sei que há sempre algo a mudar, mas as coisas nesta fase da vida levam o seu tempo, e, a única coisa que eu agora de facto posso e quero mudar é o emprego e já estou a trabalhar para isso, contudo, o que tenho no presente momento é muito bom e não vou encontrar melhor nos próximos meses, aliás este emprego dá me saúde, acreditem :) Tirando essa questão temos a família e para ser honesta as coisas já tiveram bem piores e ou só podem continuar assim ou piorar, melhorar não me parece, logo estão bem. Concluí com êxito o curso que escolhi. Tenho um namorado que adoro, nunca fui tão feliz na minha vida. Então... o que existe de errado? Sou eu. É simples. Sou um ser inquieto e é difícil lutar contra uma alma atormentada, eu sempre fui assim, é assim que me conheço, às vezes consigo estar estável uma semana, duas, um mês, o máximo foram estes últimos 8 meses.
eu simplesmente tenho um "problema" já o neguei, já tentei ignorá-lo, lutar contra ele, mas não adiantou, o que adiantou foi aceitá-lo e esperar que um dia melhore... vai melhorar? Não sei...talvez, eu não sei e eu não me preocupo muito com isso - na maior parte das vezes mas quando tenho uma recaída para mim tudo é o fim do mundo.


Eu não gosto de ser 8 ou 80, isso não faz sentido, porque nada é 8 ou 80, existe um meio termo e é nele que está a escolha certa, mas para mim é "sim ou sopas" ou "pegas ou largas" e aí está a virtude para mim, eu gosto do caos, eu vivo no caos mas ao mesmo tempo eu organizo o meu quarto o melhor que posso, a minha casa-de-banho... frigoríficos bagunçados levam-me ao desespero!! O meu caos é um caos especial. É um caos perfeito em limpeza e arrumação e o terror a cada 15 dias porque tenho de organizar tudo de novo a cada 15 dias 1 mês. Porque eu gosto do perfeito mas não consigo viver sem o caos. Entre o caos e o seu extremo é encontro o meu balanço mas eu só tenho um o outro, entendem? Porque para mim não existe nada entre. E o nada não existe logo como é que eu me mantenho no nada sem me tornar nada? Não mantenho.



Em relação aos cortes.
Verdade que ninguém deve julgar. Eu já fui tão julgada por tanta coisa que não devia - e não podia! De hoje em dia isso é algo completamente irrelevante para mim.

No acto de cortar eu experiencio o que seria a criação de um comprimido mágico capaz de levar a minha agonia, frustração, inquietude. Ressuscita-me de novo para a realidade. E permite me avaliar o meu estado, eu sei que se não dói é porque estou, com certeza, em muito mau estado.
Mas o acto de cortar nunca é a solução pois é efémero e dura apenas quanto muito horas ou um dia.
Este assunto requer um post bem mais longo e irei fazê-lo.

Ontem o meu namorado perguntou-me o porquê de o ter feito - ele foi muito compreensivo - apesar de ter insistido um bocadinho para o deixar ver, o que é natural, não forçou nada , mas tentou. Ele é a melhor coisa que me aconteceu. Estava a morrer de medo com a reacção que ele poderia ter - a minha Mãe disse que se eu continuasse assim ele ia mesmo acabar por me deixar, ele disse que não e que devíamos contar estas coisas um ao outro como é óbvio. Estava até incrivelmente mais carinhoso, disse que andava a perceber que era demasiado frio. Disse uma coisa que me tocou muito - ele fica realmente muito triste quando eu não estou bem e não suporta ver me assim - mas em relação aos cortes disse algo que nunca ninguém me disse, para além de fazer um esforço enorme para entender disse para eu o cortar a ele antes que eu não podia fazer mais isto a mim. E não, ele não se corta nem nada que se pareça e é meio medricas com facas. E muito vaidoso com o corpo e cuidadoso com cicatrizes e essa treta toda... fiquei muito comovida quando ele disse "Então faz isso a mim se precisas mesmo e se pensares em voltar a fazer." :( disse que não costumo fazer isto e que foi só uma recaída e ele quis saber o porquê de eu andar tão triste, mas nem eu sei bem... é a tal coisa do apetite, só sei que me apetece, no fundo vou sabendo mais ou menos o que, mas procurar mais a fundo dói demais porque quando procuro demais é apenas vácuo e tudo deixar de fazer sentido, e lá vem a melancolia e eu fico uma distímica de merda mergulhada no nada até me tornar completamente opaca sem sentir, depois apenas melancólica de novo, até que deixo o nada tornar-se em tudo.




______________
Quadro:

2 comentários:

"Raquel Curiel" disse...

Com seu comentário você disse tudo...

ME PROTEGER...

Preciso mesmo me defender dos sentimentos alheios, dos ruins ao menos...

Valeu pela força...

Abraços...

Nortenha disse...

O que o teu namorado te disse até a mim me comoveu... olha o quanto és importante para ele! Tu sentes-te assim por uma razão que nem tu própria consegues identificar... torna tudo mais complicado... Mas pensa no que tens de positivo, és uma excelente pessoa, não é à toa que o teu namorado te ama assim, é por seres quem és e ele só quer o teu bem.
Abraço grande!

Enviar um comentário